quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Meu corpo, o estranho


A tirinha acima nos mostra de forma nua e crua o estranhamento que temos diante do nosso próprio corpo. Apesar da nossa existência estar 100% vinculada a ele, muitas vezes preferimos não conhecer aquilo que nos incomoda. Tentem este exercício: ficar nu/nua diante do espelho e se observar por três minutos. Difícil, não?
O problema é que este estranhamento só piora a nossa imagem corporal, ou seja, a percepção e a atitude que temos diante do nosso corpo. Se eu não conheço meu corpo, como posso respeitá-lo? E se eu não o respeito, como posso gostar dele? (sim, isto é possível, e não importa o tamanho/forma do seu corpo!)
Pensando nisso, deixo aqui alguns exercícios e reflexões de um texto bem bacana que usamos com as pacientes com transtornos alimentares lá do Ambulim. Experimentem e exercitem no dia-a-dia!

1. Nós nascemos em amor com nossos corpos. Observe uma criança sugando seus dedos e pés, sem se preocupar sobre “que corpo gordo eu tenho”. Imagine estar em amor desta forma com o seu próprio corpo.
2. Pense em seu corpo como uma ponte: crie uma lista de todas as coisas que você pode fazer com ele.
3. Esteja consciente do que seu corpo faz a cada dia. Ele é o instrumento de sua vida, não um ornamento para o prazer dos outros.
4. Faça uma lista de pessoas que você admira, que contribuem para sua vida, sua comunidade e o mundo. Quanto da aparência destas pessoas importa para o seu sucesso e realização?
5. Considere o seu corpo como uma fonte de prazer. Pense em todos os modos que ele faz você se sentir bem.
6. Curta seu corpo: estique-se, dance, caminhe, cante, tome um banho de espuma, faça massagem, vá ao pedicure...
7. Ponha frases em seu espelho como: “Eu sou bonito/a por dentro e por fora”.
8. Caminhe de cabeça erguida, com orgulho e confiança em você mesmo como pessoa, não como um “tamanho”.
9. Não deixe seu “tamanho” manter você afastado/a das coisas que você gosta.
10. Reponha o tempo que você gasta criticando sua aparência com atividades mais positivas e satisfatórias.
11. Você sabia que sua pele se troca a cada mês? Seu estômago forra-se a cada 5 dias? Seu fígado a cada 6 semanas? Seu esqueleto a cada 3 meses? Seu corpo é extraordinário – respeite e aprecie isto.
12. Seja o/a especialista sobre o seu corpo – conteste as revistas de moda, a indústria de cosméticos e as tabelas de “peso ideal”.
13. Toda manhã, quando se levantar, agradeça a seu corpo por ter descansado e se rejuvenescido para que você pudesse aproveitar o dia.
14. Toda noite, quando for para a cama, agradeça a seu corpo porque ele ajudou você a atravessar o dia.
15. Encontre um tipo de exercício que lhe dê prazer e o faça regularmente, não para perder peso, mas para sentir-se bem.
16. Pense: se você tivesse apenas um ano para viver, o quão importante seria sua imagem corporal e sua aparência?
17. Faça uma lista de seu guarda-roupa. Você veste roupas para esconder seu corpo ou para seguir a moda? Mantenha apenas as roupas que dão a você sensação de prazer, confiança e conforto.
18. Jogue a balança fora. Adote um estilo de vida saudável e pese-se somente quando for necessário devido a condições médicas. Assuma que limites auto-impostos de peso são muitas vezes arbitrários e estão fora do peso programado internamente pelo nosso corpo.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Ótimas dicas Ana Carolina!
    Se não se importar, gostaria de publicar este post no meu blog. Primeiro, para que outras pessoas pratiquem esse exercícios e sintam-se bem consigo mesmas; segundo, para que conheçam o teu blog e leiam sempre como eu. Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Olá Lais!! Muito obrigada! Pode colocar sim, só cite meu nome e meu blog por favor. Me passe seu blog para que eu possa conhecê-lo tb! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Claro Ana Carolina ;) Muito obrigada.
    Adoro o que tu escreve e quero que meus leitores conheçam.

    Aqui está:
    http://alshs.blogspot.com/
    Um beijo.

    ResponderExcluir